• Jéssica Paula

As 10 Cidades Perdidas Mais Incríveis do Mundo - E que você pode visitar




As cidades sempre foram incubadoras de civilização, encruzilhadas de idéias e inovação, mas frequentemente também mecanismos autodestrutivos.


Hoje em dia, podemos ter um vislumbre do passado nas ruínas de antigos castelos, palácios e locais de culto que sobreviveram de forma surpreendente ao tempo e às guerras. Cuzco, Babilônia, Pompeia, Stonehenge e muitos outros ainda se erguem com orgulho - tendo resistido milênios para servir, agora, à era do turismo.


Conheça 10 cidades perdidas cujas ruínas ainda podem ser visitadas!




1 - Petra - Jordânia





Esculpida na colina de arenito vermelho, rosa e branco, a pré-histórica Petra é, sem dúvida, um dos locais de civilização perdida mais surpreendente do mundo. A cidade jordaniana era um próspero centro comercial e mais tarde tornou-se um mosteiro no Império Nabateu por volta de 400 a.C., antes que sua cultura sofisticada fosse conquistada e absorvida pelo Império Romano.


Declarada Patrimônio Mundial pela Unesco e uma das novas sete maravilhas do mundo, Petra se tornou um centro de filmagem e turismo. Embora o local seja amplamente associado ao local de filmagem do filme "Indiana Jones", que foi transformado em uma atração turística popular, os beduínos continuam vivendo no estilo de vida tradicional junto com o turismo.



2 - O Grande Zimbábue - Zimbábue




O Grande Zimbábue é um sítio arqueológicos fascinantes. Os primeiros rumores de um magnífico reino perdido da bíblica Rainha Sabá começaram em Moçambique, durante a era colonial portuguesa no século XVI.


As impressionantes ruínas com paredes curvas maciças, levantadas sem argamassa só foram descobertas, ao menos para nós ocidentais, no século 19.


O explorador alemão tinha ouvido falar do complexo espetacular que "nunca poderia ter sido construído por negros" - como lhes contaram - e decidiu pesquisar a área até encontrar. Os europeus levaram 20 anos para inspecionar o local sagrado para concluir que os recintos de paredes curvas com 9 metros de altura, estendendo-se por 40 hectares, teriam sido construídos por fenícios ou egípcios.


No entanto, ninguém jamais apresentou uma única prova de que essa versão europeia fosse verdade.



3.Palenque - México




Quando Pedro Lorenzo de la Nada encontrou pela primeira vez os templos e praças de pedras envolvidas pela selva da cidade perdida de Palenque, em 1567, ele não tinha ideia de que o maravilhoso local um dia seria um dos locais históricos mais visitados do México.


A cidade perdida foi abandonada pelos maias e foi governada por muitos imperadores diferentes. Ela apresentava locais religiosos, templos, palácios, cemitérios e sarcófagos, mas os arqueólogos sugerem que apenas 5% do total da cidade foi descoberto e, portanto, a exploração continua.



4. Mohenjo Daro - Paquistão




Inteiramente desconhecida até 1921, a cultura do Vale do Indo surgiu há mais de 4.500 anos e continuou a florescer por outros mil anos. Beneficiando-se do poderoso rio Indo e das várzeas circundantes, Mohenjo Daro cresceu, e a cidade se tornou o centro do comércio e da agricultura até ser enigmaticamente destruída.


Em 1911, grandes ruínas de uma cidade de pedra foram descobertas no Paquistão - onde antes ficava a poderosa Mesopotâmia. A riqueza e a estatura da cidade são evidentes em artefatos como marfim, lápis-lazúli, cornalina e contas de ouro, bem como nas próprias estruturas de tijolos cozidos da cidade.


O complexo grande, limpo e muito sofisticado não tinha templos, ou quaisquer outros lugares espirituais ou monumentos. No entanto, muitos poços, montes e banhos foram encontrados ao redor da cidade. Sem nenhum sinal da residência de qualquer governante, ninguém jamais descobriu quem viveu na cidade e o que acabou com a misteriosa civilização do Indo.



5. Tanis - Egito




Talvez os locais históricos mais icônicos do planeta possam ser encontrados no Egito. Existem cidades perdidas ainda mais misteriosas, espalhadas por todo o país. Tanis pode ter ficado famosa com o filme Indiana Jones, mas esse local único já havia atraído arqueólogos muito antes disso.


Datada de 1000 a.C., ela já foi uma gloriosa capital de Alexandria, também conhecida como 'A Cidade Perdida de Zoan' e só revelou seus tesouros em 1939, quando Pierre Montet descobriu o complexo de tumba surreal com câmaras funerárias, máscaras de ouro, caixões de prata, sarcófagos, pulseiras, colares, pingentes, talheres, amuletos, estátuas, vasos e jarros.



6. Teotihuacan - México




Um dos maiores sítios arqueológicos da Terra e suas origens são um grande quebra-cabeça. A cidade perdida de Teotihuacan é uma estrutura feita pelo homem que remonta à antiga era asteca e é definida por grandes templos-pirâmides, tumbas, áreas residenciais, mercado e uma enorme estrada central.


O sítio mesoamericano é considerado a maior cidade do Ocidente antes de 1400 que já sustentou uma população de mais de 100.000 habitantes. O que fez a cultura pré-colombiana americana durar tanto tempo. O porquê e como uma civilização tão poderosa entrou em colapso tão de repente são perguntas ainda sem resposta.



7. Troia - Turquia





Mito, folclore, mistério e intriga cercam a antiga cidade de Troia como nenhuma outra ruína em nosso planeta. Uma vez que se pensava ser puramente imaginário, um adereço no poema épico de Homero "A Ilíada", escavações na Turquia em 1871 acabaram provando que a cidade realmente existia.


Quando o aventureiro alemão Heinrich Schliemann começou a cavar em Hisarlik em busca da cidade lendária, sua escavação tosca - sim, assim mesmo - causou estragos no local, mas revelou 9 cidades antigas, cada uma construída sobre a outra e datando de cerca de 5.000 anos.


Na época, a maioria dos arqueólogos duvidava que a capital antiga estivesse entre as ruínas, mas as evidências, desde a descoberta, sugerem que a Tróia Homérica está definitivamente dentro do local. Hoje, o local é patrimônio mundial reconhecido pela Unesco e sua lendária história da Guerra de Troia atrai milhares de visitantes todos os anos.



8. Angkor Wat - Camboja




Atração imperdível no Sudeste Asiático, Angkor Wat reserva aos turistas uma viagem inesquecível. Localizado no norte do Camboja, a 325 km da capital Phnom Penh, antigos e grandiosos templos, alguns em ruínas, se misturam com musgos e enormes raízes de árvores em plena floresta tropical, e criam uma atmosfera única. A construção é de tamanha importância para o país que até estampa a bandeira do Camboja.


Angkor Wat é na verdade o maior – e mais bem preservado – templo da região arqueológica de Angkor, que foi o centro do Império Khmer.


Por ser um lugar sagrado, os turistas devem se vestir de modo apropriado e mostrar respeito durante a visita. Para explorar todo o complexo de Angkor, geralmente leva metade de um dia – pelo menos.





9. Uruk - Iraque





A pesquisa arqueológica atual indica que as cidades mais antigas já registradas são aquelas encontradas espalhadas ao longo das margens dos rios Eufrates e Tigre na Mesopotâmia - o atual Iraque. Mais de 5000 anos atrás, os antigos mercadores que viajavam rio acima vindos do Egito teriam entrado de barco na grande cidade suméria de Uruk.


Uruk era famosa por suas gigantescas muralhas defensivas, jardins exuberantes e sofisticada elite governante. Por exemplo, Gilgamesh - o "Deus-Rei da Babilônia", que se tornou o tema do poema épico mais antigo do mundo, ainda hoje é publicado. Sua cidade despertou ainda mais fascínio do que quando "descoberta" em 2003 pelos arqueólogos alemães.


As escavações revelaram a lendária Torre de Babel e a pesquisa mostrou que Uruk deve ter se parecido com "Veneza no Deserto" naquela época.


A refinada rede de canais costumava alimentar não apenas extensas hortas de que os reis usufruíam, mas também os cidadãos que utilizavam os cursos d'água para a agricultura e a produção de sobras de alimentos para alimentar exércitos de trabalhadores que constantemente melhoravam a cidade e garantiam o luxo absoluto.



10. Machu Picchu - Peru





As ruínas de Machu Picchu, empoleiradas entre as nuvens no alto das colinas do Peru, já foram capital espiritual do Império Inca de Tahuantinsuyo. A civilização agora é um enigma. Misteriosamente desapareceu e deixou para trás um dos marcos arqueológicos mais espetaculares do mundo.


Estima-se que a ‘Cidade Perdida dos Incas’, situada 2.430 m acima do Vale Sagrado de ‘Los Andes’, tenha sido construída por volta de 1400, descoberta em 1867 pelos alemães e que se tornou um Patrimônio Mundial da Unesco.


No entanto, com o desaparecimento dos incas e sua perda de conhecimento, as ruínas sagradas nunca serão interpretadas com certeza.