• Jéssica Paula

Primeiro hotel no espaço já planeja reservas para turistas em 2027





Serão 400 hospedes em quartos de luxo com vista para a Terra. Essa é a promessa da empresa Orbital Assembly Corporation (OAC), que anunciou início da construção do hotel no espaço para o ano de 2025.


Segundo a empresa, o hotel de luxo, que será chamado de "Voyager Station", é dividido em cápsulas individuais presas em uma roda giratória e terá capacidade para acomodar 400 pessoas em seu total. A expectativa é vender partes dele para agências governamentais, que podem usar o ambiente para trabalho, e deixar o restante para turistas aventureiros.


O hotel também terá restaurantes temáticos, spa, cinema, academias, bibliotecas, salas de concerto, salas de observação da Terra e bares. Outras coisas como alojamento da tripulação, ar, água e energia também ocuparão uma parte. O site oficial do OAC ainda afirma que a cápsula voltada para esportes “vai se transformar em uma sala de concertos onde os maiores músicos do planeta vão agitar a estação enquanto ela circula o planeta”.



A construção





Por enquanto, nenhum custo de construção foi revelado, mas, para comparação, a Estação Internacional Espacial da Nasa custou 150 bilhões de dólares e tem capacidade de abrigar até seis astronautas. O site oficial enfatiza que a experiência de viajar até o espaço será para poucos, já que o preço para sair da Terra pode chegar até 25 milhões de dólares.

A estação espacial fará a volta pela Terra a cada 90 minutos e a rotação dela gerará uma gravidade artificial semelhante à da Lua. O objetivo da empresa é possibilitar a permanência de vários meses dentro do Voyager, por isso a rotação -- sem ela, humanos não conseguem ficar na estação espacial por muito tempo.




“A Voyager Station é uma estação espacial giratória projetada para produzir vários níveis de gravidade artificial, aumentando ou diminuindo a taxa de rotação. A gravidade artificial, ou simulada, é essencial para a habitação de longo prazo no espaço”, explica o site oficial.

A acomodação será construída por robôs e drones na Estação Espacial Von Braun. Com a forma de uma roda gigante de cerca de 190 metros de diâmetro, ela irá girar lentamente para produzir uma força gravitacional, segundo o My Modern Met.

O anel exterior da roda contará com 24 cápsulas pressurizadas. Entre elas, estarão quartos de hotel, residências, centros de pesquisas governamentais e quartos especiais para a equipe da estação espacial.

O visual futurista não deve dar o tom na estação espacial, que será revestida com tecidos, luzes quentes e texturas que ajudem os hóspedes a se sentirem em casa. As fotografias do projeto mostram que ele realmente deve ser bastante parecido com quartos comuns de hotéis. A principal diferença estará na vista da janela, claro.



“Olhando para além de 2030, a Estação Espacial Von Braun é uma prova de conceito para o próximo projeto da Gateway Foundation, que é um tipo de estação chamada The Gateway, que abrigará mais de 1.400 pessoas. Serão verdadeiras cidades no espaço que serão portos intermediários para aqueles que vão e vêm da lua e de Marte.”, explicou Tim Alatorre, arquiteto responsável pelo projeto.

“Esta será a próxima revolução industrial”, disse John Blincow, fundador da Gateway Foundation, que desenvolverá algumas das cápsulas do Voyager.


Um robô com o nome de STAR (Structure Trust Assembly Robot) construirá a estrutura do Voyager em órbita assim que a OAC finalizar alguns testes de gravidade. Tanto a Gateway Foundation quanto a OAC pedem às pessoas que invistam no projeto e façam reservas para uma futura visita.



Veja o vídeo do Projeto: